sexta-feira, 11 de junho de 2010

Poema sobre as águas - 2º ano D

A equipe do 2º ano D "Nova Geração", neste último sábado apresentou um poema sobre o Tema: água. A equipe teve como foco central a conscientização dos participantes do evento terem uma maior consciencia da preservação e conservação da água, na qual a equipe transcreveu sua preocupação em um lindo poema.
Veja :
Preservação das águas

Talvez fui alguém na vida
Que não sub preservar
Usava águas preciosas
Que venham de algum lugar
Mas um dia eu pensei
Que sem ela o que serei

Fui descobrindo pouquinho
Como a chuva do céu cai
Seus pingos param no solo
E ao lençol d’água vai
Reaviva a natureza
Dando mais cor e beleza
Quando o sereno o atrai
Ou como o mundo viverá?

Cada pingo se espalham
E param em todo lugar
Alguns em baldes e panelas
Já outros dentro do mar
É tanta água espalhada
Que só 1% é usada
Em quase todo lugar

As vezes eu penso tanto
Na seca que já passou
Será que existia água
Ou toda a terra o tragou?
As vezes não aproveitamos
E o que tem estragamos
Mas nunca damos valor

Uma gota faz diferença
Mas, muitas pensam que é engano
Mas, cada gota se vai longe
Sem calcular os seus danos
Enquanto você não ver
Agora vai entender
Que as gotas formam um oceano

Mas quando a água voltou
A mesma historia começa
Vi gente enchendo piscina
E derramando nas festas
Algumas torneiras ligadas
Lavando-se roupas nas calçadas
Mas, só faltando é que presta

Um dia encontrei resposta
Para tudo que pesquisei
Vi gente desperdiçando
A fonte que encontrei
Aguando jardins e praças
Sem saber o que muitos passam
Isso eu nunca imaginei

Também vi cenas chocantes
Mas baixinho vou falar
Gente banhando cavalos
Ou um carro sem pensar
Gente com potes abertos
Que antes eram cobertos
Mais ninguém vai alertar

Muitas vezes dependemos
De açudes e represas
Sem falar da nossa água
Que pra alguns é uma beleza
Mas, já vi canos estourados
É água pra todo lado
No mundo da realeza

A natureza é honesta
Mas pra que saber zelar
As vezes ela se rebela
Jogando tudo pro ar
Águas invadindo tudo
É a notícia corre ao mundo
E quem poderá nos livrar?

Esse poema é um alerta
Para toda população
Lembro-me que faltou água
E foi uma imensa multidão
De manhã até a notinha
Muita gente ali tinha
Que causava admiração

Só sei é fazer minha parte
Mas é nossa obrigação
Não poluir nossas águas
Zelar com compreensão
A natureza agrade
E mais e mais ela cresce
Um beijo...

Autor:
José Aristides Wanderley Paiva

Um comentário:

Marcia e Joacy disse...

Muito bonito este poema, os alunos do 2º D estão de parabéns!!!